A reação dos mercados: preço do petróleo dispara

Trump disparou e os mercados reagiram imediatamente, diaparando o preço do petróleo e do ouro. Nos mercados accionistas, a queda é generalizada. Já o euro está a valorizar face ao dólar, nota a Bloomberg.

O aumento do preço do petróleo e ouro surge como uma antecipação dos investidores ao crescimento de uma tensão geopolítica. “Os investidores têm estado à procura de uma desculpa para vender. Esta incerteza em torno do ataque dá-lhes uma razão concreta para fazer isso mesmo”, nota James Audiss, um analista da Shaw and Partners.

 

A combination image released by the U.S. Department of Defense which they say shows the impact crater associated with April 4, 2017 Chemical Weapons Allegation released after U.S. cruise missile strike against Syria on April 7, 2017. Courtesy U.S. DoD/Handout via REUTERS ATTENTION EDITORS – THIS IMAGE WAS PROVIDED BY A THIRD PARTY. EDITORIAL USE ONLY.

 

U.S. Navy guided-missile destroyer USS Porter (DDG 78) conducts strike operations while in the Mediterranean Sea which U.S. Defense Department said was a part of cruise missile strike against Syria on April 7, 2017. Ford Williams/Courtesy U.S. Navy/Handout via REUTERS ATTENTION EDITORS – THIS IMAGE WAS PROVIDED BY A THIRD PARTY. EDITORIAL USE ONLY.

 

Se esta é uma reacção temporária ou irá continuar só se irá perceber consoante as reacções internacionais, refere um outro analista.

Mísseis foram dirigidos a base militar síria, em resposta ao ataque com armas químicas. Reino Unido apoia decisão da Administração Trump. Rússia classifica acção como “agressão a um membro da ONU”.

Rússia pede encontro das Nações Unidas

A Rússia pediu esta sexta-feira um encontro entre os membros das Nações Unidas para discutir o ataque norte-americano.

Russia calls for UN Security Council meeting on US Syria strikes

Pedido surge depois de Moscovo informar que vai deixar de se articular com Washington na partilha do espaço aéreo sírio.

Russia ‘halts’ agreement with US to avoid clashes in Syria airspace: ministry

A reação dos mercados: preço do petróleo dispara

Trump disparou e os mercados reagiram imediatamente, diaparando o preço do petróleo e do ouro. Nos mercados accionistas, a queda é generalizada. Já o euro está a valorizar face ao dólar, nota a Bloomberg.

O aumento do preço do petróleo e ouro surge como uma antecipação dos investidores ao crescimento de uma tensão geopolítica. “Os investidores têm estado à procura de uma desculpa para vender. Esta incerteza em torno do ataque dá-lhes uma razão concreta para fazer isso mesmo”, nota James Audiss, um analista da Shaw and Partners.

Se esta é uma reação temporária ou irá continuar só se irá perceber consoante as reações internacionais, refere um outro analista.

Pelo menos seis mortos e “muitos danos materiais”

De acordo com o exército sírio, o ataque dos EUA à base militar síria de Shayrat causou a morte de seis pessoas. O maior dano foi material.

Num comunicado citado pela Reuters, as forças militares da Síria consideram que o ataque ordenado por Trump transforma os EUA num parceiro do Daesh e de outras organizações terroristas.

A resposta síria será, de acordo com a mesma fonte, “continuar a lutar contra o terrorismo” a fim de “restabelecer a paz e segurança” em todo o país.

Trump confirma ataque e chama ditador a Assad

Donald Trump discursou após o ataque EPA/OLIVIER DOULIERY/POOL/ARQUIVO

Dirigindo-se aos norte-americanos a partir do resort de Mar-a-Lago, na Flórida – onde recebe o presidente chinês Xi Jinping -, Donald Trump começou o seu discurso oficial sobre a ação militar norte-americana lembrando o ataque químico de terça-feira que causou a morte de dezenas de civis sírios.

“Na terça-feira, o ditador Bashar al-Assad lançou um horrível ataque químico em civis inocentes, usando um agente químico mortal.

Assad sufocou até à morte homens, mulheres e crianças inocentes. Foi uma morte lenta e brutal para muitos. Até os mais bonitos bebés foram cruelmente assassinados neste ataque bárbaro. Nenhuma criança de Deus devia sofrer tal horror”, começa Trump.

“[Durante] Esta noite [quinta-feira] ordenei um ataque aéreo militar na Síria, onde o ataque químico foi lançado”, declarou.

“Anos de tentativas de mudar o comportamento de Assad falharam e falharam dramaticamente. Como resultado, a crise de refugiados continua a acentuar-se e a região continua instável, ameaçando os Estados Unidos e os seus aliados. Esta noite chamei todas as nações civilizadas para que se juntassem a nós na missão de terminar este massacre na Síria e para terminar todo o tipo de terrorismo.”

Ministro sírio diz ter sido informado do ataque

O ministro da Informação da Síria afirma que sabia do ataque norte-americano e que o mesmo foi “limitado” e “expectável”, pelo que não antecipa qualquer escalar das forças militares.

França sabia do ataque

Os Estados Unidos avisaram França do ataque antes de ordenarem o lançamento dos mísseis, informou o ministro dos Negócios Estrangeiros francês, Jean-Marc Ayrault.

De acordo com Ayrault, o secretário de Estado norte-americano Rex Tillerson avisou Paris durante a noite das intenções de avançar com um ataque militar. Para o governante francês, o ataque norte-americano é “um aviso” a um “regime criminoso”.

O ministro dos Negócios Estrangeiros sublinhou que o uso de armas químicas “é um crime de guerra” e devia por isso ser punido, acrescentando que quer a Rússia quer o Irão deviam compreender que apoiar o regime de Bashar al-Assad “não faz sentido”.

Ayrault vinca ainda que a França não está à procura de um confronto com a Rússia ou o Irão e que o único papel do governo de Paris na Síria é lutar contra as forças terroristas do Daesh.

Trump afirma que ação militar é uma resposta ao ataque químico

 

O Exército sírio mandou retirar a maioria dos aviões de guerra da base aérea atacada pelos EUA antes de esta ser atingida pêlos misseis norte-americanos, segundo “informação recolhida pela televisão estatal libanesa al-Mayadeen, que a Reuters cita.

Irã condena “ataque unilateral”

O regime iraniano reagiu ao ataque desta quinta-feira à noite através de um porta-voz do Ministérios dos Negócios Estrangeiros. “O Irão condenada veementemente um ataque unilateral destes… Ações como estas vão complicar a situação na Síria e na região”, disse Bahram Qasemi, citada pela agência estatal ISNA, segundo a Reuters.

Reino Unido “apoia totalmente” ataque dos EUA

Um porta-voz do Governo britânico, citado pela Reuters, sublinhou o “total apoio” do Reino Unido ao ataque liderado pelo líder norte-americano contra as forças do Presidente sírio.

Rússia considera ataque uma “agressão a um membro das Nações Unidas”

O presidente do Conselho da Federação para a Defesa e Segurança russo, Viktor Ozerov, classificou o ataque dos EUA um “acto de agressão contra um Estado-membro das Nações Unidas”.

Moscovo considera que o ataque norte-americano é “uma violação do direito internacional”. De acordo com o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, o Presidente russo acredita que Trump utilizou “um pretexto” e quer apenas “distrair” o mundo do número de mortes de civis no Iraque.

Peskov acrescenta ainda que a Rússia não acredita que a Síria tenha acesso a armas químicas.

Para a Rússia de Vladimir Putin, o principal aliado do regime de Damasco, este ataque coloca em risco a relação entre o Kremlin e a Casa Branca.

O ataque ordenado por Trump é visto pelas forças russas como um obstáculo à criação de uma coligação de combate ao terrorismo.

Ataque partiu do Mediterrâneo

Os EUA lançaram esta quinta-feira à noite vários mísseis contra uma base militar do regime sírio, numa resposta ao ataque químico que fez mais de 70 mortos e centenas de feridos, entre os quais se contavam várias crianças. O ataque norte-americano partiu de dois navios de guerra localizados no Mar Mediterrâneo. Horas antes de ordenar o ataque, o Presidente Donald Trump tinha avisado que a sua atitude em relação à Síria e ao seu Presidente “mudou drasticamente”.

Fonte:https://www.publico.pt